28 de julho de 2012

Poesia: Sem você

Poeta Tulio Rodrigues




Quantas vezes tenho que dizer que amo você? Não sei! Às vezes até finjo entender o que sinto! Com você as coisas tem sentido e até a vida parece ter. Mas sem você tudo se perde... Nada tem sentido, nem mesmo o amor! Também não sei por que é assim! Quando estou só, tudo é confuso é até o amor o é!

Sem você, eu não sou inteiro, sou metade, sou pedaço... É como se o dia tivesse doze horas, o minuto, trinta segundos... É como se o tempo fosse contado pela metade! Sem você, eu sou céu sem estrelas, lua sem luz, fé sem Deus... Sem você sou peixe sem mar, sou terra sem grão, sou alimento sem alma e sem sabor!

Sem você, eu não tenho planos, não conto dias, meses e anos! Sem você, eu sou a poesia sem verso! Sem você, eu sou o soneto sem métrica e sem rima! Com você, eu compreendi o amor, passei a amar além e mais alto! Com você eu descobri a verdadeira saudade, a verdadeira forma de se sentir falta, de se sentir vazio!

Com você, o amor é palpável como seu corpo, é doce como sua boca, é simples como a vida, é forte como rocha, é frágil como flor! Tentei viver sem você, mas é impossível viver sem amor depois de vivê-lo! É impossível viver no frio sem o seu calor, é impossível viver sem o seu corpo depois de senti-lo!

O seu amor me escraviza e me domina que eu não penso no futuro se o futuro não for ao seu lado, ao seu aconchego, ao seu leito! O seu amor é que me alimenta a chama de viver a todo dia e se há rusga, me sinto num abismo sem tamanho e só a morte é a possibilidade possível!

Não sei por quantas vezes mais é necessário gritar seu nome, gritar que a amo... É fácil dizer, pois não há dificuldades em dizer o que sinto mesmo que eu não veja necessidade! Prefiro dizer que outros corpos não é o seu corpo, outras bocas não é sua boca, outros gozos não é o seu gozo, outros gemidos não são os seus, pois você é única!

A possibilidade de perdê-la me aleja a alma, me amputa o espírito... A possibilidade de perdê-la me reparte em pedaços mil pelo universo, pelo infinito!... Quantas vezes mais eu tenho que dizer que a amo? Quantas vezes mais preciso dizer que filhos meus serão seus? Quantas vezes mais preciso conquistá-la a cada dia?

Mas se precisa que eu repita como um mantra que a amo, começo nesses versos: Eu a amo! Eu a amo! Eu a amo!... Eu... 


Meu twitter: @Poetatulio