5 de janeiro de 2014

Poesia: Chuva

Poeta Tulio Rodrigues


Caia chuva!
Às vezes fria e mesquinha,
nunca perca sua candura,
mesmo ao cair do céu enjoada e fininha.

Caia chuva!
Dê água às belas flores
que não brilham sem a lua.
Só se ver a neblina, sem o sol não há cores.

Caia chuva!
Dê vida aos secos jardins
que depois ficam lindos como plumas
igual às asas do anjo Serafim.

Caia chuva!
Jogue água onde está seco,
a pequena parte é sua,
dê sentido à alma, coragem onde há medo.

Caia chuva!
Findando as noites dos boêmios.
Não importa como flua,
simplesmente apague os incêndios.

Caia chuva!
Molhe o belo corpo dessa menina,
escorrendo entre suas coxas sem pudor.
Ela embriaga-se só pelo fato de estar nua.
Quero vê-la, tocá-la, sentir o amor e ver que não é mentira.

Caia chuva!
As nuvens estão pesadas.
É Deus que quer lhe ver pura
para apreciarmos a noite estrelada
e nos amarmos com o brilho da lua.

Tulio Rodrigues




Twitter: @PoetaTulio
Facebook: Poeta Tulio Rodrigues
Instagram: instagram.com/poetatulio
Tumblr: poetatuliorodrigues.tumblr.com