18 de julho de 2012

Poesia: De mãos dadas

Poeta Tulio Rodrigues
           
                                                 

                                                           “No silêncio do vazio/
                                                           Arrastando maravilhas/
                                                           Nem vertigem, nem limites/
                                                           Daqui a pouco é outro dia”
                                                           (Kali C./Alexandre Lemos)

Noite estrelada,... Lua cheia,...
Solidão,... Quarto vazio,...
Pensamentos soltos,... Peito vazio...
É pouca a luz que me ilumina!

Nós, poetas amantes dos versos
deliciamo-nos no embalo das canções!
Nós, poetas, criamos universos
carregados de lamentos e de emoções!

Nós, diante de todas as estrelas;
amantes sedentas de poesia,
não estávamos mais sozinhos;
pois, quem sabe, os nossos versos possam tê-las!

Vimo-nos num mar revolto e profundo
onde, talvez, só houvesse tristeza.
Mas nós juntos nessa correnteza
procurávamos um no outro ir mais fundo!

Assim, percebi a força de sua voz!...
Assim, voávamos para novas ilhas!...
E com as asas de um lindo albatroz
fomos de mãos dadas arrastando maravilhas!


Publicado no meu primeiro livro solo, "Ensaio Poético" (ed. Virtual Books) e publicado na Coletânea Eldorados Vol. XI (editora Celeiro de Escritores)

Sigam-me no Twitter: @PoetaTulio