28 de julho de 2012

Poesia: Sem você

Poeta Tulio Rodrigues




Quantas vezes tenho que dizer que amo você? Não sei! Às vezes até finjo entender o que sinto! Com você as coisas tem sentido e até a vida parece ter. Mas sem você tudo se perde... Nada tem sentido, nem mesmo o amor! Também não sei por que é assim! Quando estou só, tudo é confuso é até o amor o é!

Sem você, eu não sou inteiro, sou metade, sou pedaço... É como se o dia tivesse doze horas, o minuto, trinta segundos... É como se o tempo fosse contado pela metade! Sem você, eu sou céu sem estrelas, lua sem luz, fé sem Deus... Sem você sou peixe sem mar, sou terra sem grão, sou alimento sem alma e sem sabor!

Lançamento do novo cd de Chico Buarque: "Na carreira" ao vivo


Cinco anos após a sua última turnê, Chico Buarque volta com o show de lançamento de seu mais novo CD, ‘Chico’, sucesso absoluto de vendas. Embora dono de uma das carreiras mais sólidas da MPB – em 45 anos lançou mais de 40 discos, este será apenas o sexto espetáculo apresentado por ele nos últimos 36 anos. Com duração de aproximadamente 1h30, o roteiro é todo construído ao redor das dez canções que compõem o disco novo. Além delas, o artista vasculhou os mais de 400 títulos de sua obra para chegar à lista final de 30 músicas. O resultado é um show pautado por canções de todas as fases de sua carreira, desde o início dos anos 60 até hoje. O mais recente projeto ao vivo de Chico "Na carreira" ganha sua versão neste CD Duplo sendo uma celebração da volta deste grande artista aos palcos revisitando clássicos como "Todo Sentimento", "Bastidores", "Baioque", "O meu amor/Teresinha", "Anos Dourados" entre outros.

Para realizar a compra do cd na pré venda: Saraiva

Faixas do CD 1:

1. O Velho Francisco
2. De volta ao samba
3. Desalento
4. Injuriado
5. Querido Diário
6. Rubato
7. Choro Bandido
8. Essa Pequena
9. Tipo um baião
10. Se eu soubesse
11. Sem você nº 2
12. Bastidores
13. Todo o sentimento
14. O meu amor
15. Teresinha

Faixas do CD 2:

1. Ana de Amsterdam
2. Anos Dourados
3. Sob Medida
4. Nina
5. Valsa Brasileira
6. Geni e o Zepelim
7. Sou Eu
8. Tereza da Praia
9. A violeira
10. Baioque
11. Rap de Cálice
12. Sinhá
13. Barafunda
14. Futuros Amantes
15. Na carreira
Sigam-me no Twitter: @Poetatulio

24 de julho de 2012

Soneto: Resgate





Oh, Flor do céu! Oh, flor cândida e pura!
Traga sempre o encanto para amar-te,
Uma breve noção para cantar-te
todo este amor, e toda esta ternura!

Oh, flor do Céu! Remédio que me cura!
Trago agora as estrelas pra brilhar-te,
O carrossel do amor para viajar-te
neste mundo com tanta formosura!

Talvez, não tenho tanto compromisso,
pois a minha missão foi resgatar
o amor cortado por uma navalha!

Não fui covarde, nunca fui omisso...
Disse o poeta, devo confessar:
- Perde-se a vida, ganha-se a batalha!


Feito pro Desafio poético Machadiano!!!!!!!



Twitter: @Poetatulio

22 de julho de 2012

TulioCast5 - Pablo Neruda e Luna Fernandes

O TulioCast é um programa de Poesia e música. Terá sempre como grande homenageado um poeta clássico e poetas contemporâneos. A ideia é de no futuro ter a cada Podcast um tema. O programa de poesia é divido em três blocos. A cada intervalo entre um bloco e outro será sempre com música da melhor qualidade. Venha conferir!

20 de julho de 2012

Soneto: Amigo é... Homenagem aos meus amigos!





Aquele que está junto na tristeza
E que sente contigo a vossa dor,
É aquele que te acalma com leveza,
E faz da vida uma canção de amor!...

Amigo: o vosso eterno protetor,
A vossa força pura... Alva firmeza,
Terno parceiro tão acalantador,
A maestria mais rara da beleza!...

Amigo: sempre junto na labuta,
É o que não corre de qualquer perigo,
É quem vence contigo a vossa luta!...

Quem entende as palavras que vos digo
Sabe que a amizade é absoluta,
Pois carrega na vida um grande amigo!...

Tulio Rodrigues

Feliz dia do amigo!



Twitter: @PoetaTulio



18 de julho de 2012

Poesia: De mãos dadas

Poeta Tulio Rodrigues
           
                                                 

                                                           “No silêncio do vazio/
                                                           Arrastando maravilhas/
                                                           Nem vertigem, nem limites/
                                                           Daqui a pouco é outro dia”
                                                           (Kali C./Alexandre Lemos)

Noite estrelada,... Lua cheia,...
Solidão,... Quarto vazio,...
Pensamentos soltos,... Peito vazio...
É pouca a luz que me ilumina!

14 de julho de 2012

Legado de pai para filho



 
A minha família é composta em sua maioria por flamenguistas! Há vascaínos e tricolores. Se há botafoguenses, desconheço. O meu pai, José Henrique Souza da Costa é vascaíno doente! Sim, meu pai é vascaíno!

Mesmo nessa condição, meu pai foi uma das pessoas que me fizeram aflorar esse amor e essa paixão pelo Flamengo e pelo futebol. Ainda lembro-me de um domingo em 1993, no qual meu pai vibrava e torcia como nunca após o gol de Romário contra o Uruguai pelas eliminatórias para a Copa do Mundo de 1994. Nunca o tinha visto tão feliz. Eu tinha na época nove anos de idade.

Lembro-me também que numa ocasião, meu pai levara eu e meu irmão, esse sim, vascaíno para andarmos de barca pela primeira vez. Saímos de Niterói e quando chegamos a Praça XV, olhei maravilhado para uma banca de jornal que vendia fotos com os cartões postais da cidade do Rio de Janeiro, mas nada me chamava mais atenção do que as fotos de Zico e Junior em ação pelo Flamengo e uma com o time pentacampeão Brasileiro de 1992. Meu pai comprou todas e comprou também fotos de Roberto Dinamite, e outras do Vasco para o meu irmão, o Igor que nem sabe hoje, o nome de seu atual goleiro.

Meu pai além de vascaíno é acima de tudo um apaixonado por futebol. Contava-me histórias que me fascinava pelo futebol. As que mais me encantava era o fato dele saber de cor o grande time do Flamengo campeão mundial de 1981 e detalhes de jogos que só um flamenguista poderia saber. Ele não sabia que cada vez mais alimentava em mim uma chama Rubro-Negra, um amor que até hoje não se explica e não se mede.

Meu pai também incentivava-me a ser um leitor voraz! Comprava-me o Jornal dos Sports, O globo e lia comigo as páginas esportivas. São incontáveis as tardes de domingo em que ele levava-me para ver os jogos do Flamengo. Não no Maracanã, mas num telão perto de nossa casa. Foram muitas também às vezes em que ouvíamos os jogos do Flamengo pelo rádio. Fosse num de pilha ou em nosso três em um da época.

Em 1994, comemoramos juntos o Tetra da Seleção Brasileira que tinha um baixinho chamado Romário revelado pelo seu Vasco, mas que era recheado de Rubro-Negros: Aldair, Jorginho, Leonardo, Bebeto, Zinho e Gilmar. Vimos todos os jogos juntos!

Em 2009, no jogo contra o Grêmio na última rodada do Brasileiro em que o Flamengo decidia o título, estávamos juntos mais uma vez. Ele me disse que iria torcer para o Flamengo ser Campeão. Foi abraçado a ele que chorei após o histórico gol de Ronaldo Angelim. Não poderia o destino reservar momento melhor como aquele.

Obrigado pai por me fazer Rubro-Negro, pelas histórias mais lindas que ouvi na infância! Obrigado pai pelas lembranças jamais esquecidas e nem desbotadas de minha memória!

Espero um dia passar esse legado de amor que ultrapassa um campo de futebol, um estádio, um jogo e seus noventa minutos e que se eterniza na alma e vale mais do que qualquer rivalidade centenária para o meu filho!

Imagine nós três sentados falando de futebol?


*" E há quem diga que
- Futebol é bobagem - "



Tulio Rodrigues.


* Rica Perrone
 
 
Sigam-me no Twitter: @Poetatulio

13 de julho de 2012

Soneto: Pedro, meu filho!


Uma singela homenagem ao meu amigo José Benício, a sua família e ao pequeno Pedro que está para chegar!

Benício, espero que tenha gostado de meus singelos versos dedicado ao seu filho e do meu vídeo com algumas fotos suas e do chá de bebê!

Pedro, meu Filho!

Caminha para a vida e para o mundo
o rebento menino já sagrado
gerando em si o amor desmensurado,
amor raro, divino e tão profundo!

Divaga o tempo por tempo ditado
e esta ansiedade que nos bate fundo!
Gira o girassol, flores, ‘giramundo’,
gira o relógio pro dia marcado!

Quando chegares, traga-nos a paz,
chores forte, marcando a tua presença,
mostre pra vida o teu eterno brilho!


Saiba do sentimento que aqui jaz
e que direi pra ti com voz imensa:
- Te amo sem meio, sem fim, Pedro, meu filho! –



Sigam-me no Twitter: @PoetaTulio