12 de janeiro de 2012

Olga Maria Prestes

Olga Benário










































Pele branca, límpida, alva de liberdade,
cabelo negro, escuro, envolto de beleza,
teu olhar claro, luz de encanto e fortaleza
traduz um mundo mais unido em igualdade.

Junto de Otto, encontrou em Marx uma certeza
da ideologia sair da clandestinidade.
Com Prestes, no Brasil, uma nova verdade;
a liberdade fora em si uma incerteza.

Segue a revolução que se finda frustrada,
a distância do amor que tua prisão desfez
junto ao Nazi-facismo endiabrado das pestes.

Antes de se tornar a lenda eternizada,
conforme o prometido, assim, então, ele o fez:
à Hitler, deu Getúlio, Olga Maria Prestes.

Autor: Tulio Rodrigues


Ouça o áudio com o poeta Tulio Rodrigues declamando Olga e veja o vídeo: