30 de dezembro de 2010

Soneto: Ano que chega



Abre-se um novo ciclo, novos planos.
É tanta expectativa nessa hora
que nem parece o mesmo ano de outrora
e tudo se renova nesses anos.

Há uma esperança pelo mundo afora
e ninguém mede a força desses danos.
Nesses momentos não há dor, enganos,
pois ela passa breve e sem demora.

Nesse instante marcado no ponteiro,
há toda uma alegria que nós temos
engasgada no peito em quem se abraça.

Eu não serei o último ou primeiro
a ver e a sentir , pois todos nós vemos
mais um ano que chega, outro que passa.

Autor: Tulio Rodrigues