3 de outubro de 2010

Poesia: Cúmplices


Eu sou homem 
e você mulher
Simples assim
Sem mais nem menos
cada um sabendo
o que quer
Você, vulcão
eu, a larva
que queima
sedento dentro de você
minha louca erupção
Eu sou o frio
você o meu manto
Aqueça-me
sacie-me com
todo seu acalanto
Você é minha estrela
eu sou o teu céu
Quero poder tê-la
quero possuí-la
quero que me adoce
com teu mel
Eu sou disparada
você o meu freio
Quero fazer 
loucuras em você
quero me fartar
com a minha boca insana
nos seus fartos seios
As vezes estamos pertos
as vezes distantes
sei que nessa 
louca paixão
somos um do outro 
cúmplices
somos um do outro 
amantes