15 de maio de 2010

O filho da meretriz

















Os teus olhos há tempos tão cansados...
A tua pele é fria e enrugada...
A tua boca é crua e ressecada...
São teus cabelos hoje, maltratados...

Vejo em ti, a visão amargurada...
Foste farta de amantes e pecados...
Foste à dama de becos assombrados...
Foste tu, a mulher abandonada...

Em teu leito de morte, uma saudade,
o grande amor de um tempo muito antigo,
um laço tão fraterno e tão feliz...

Eis que naquela hora uma verdade,
um menino largado, sem abrigo,
abandonado pela meretriz!

Autor: Tulio Rodrigues