15 de maio de 2010

O filho da meretriz

















Os teus olhos há tempos tão cansados...
A tua pele é fria e enrugada...
A tua boca é crua e ressecada...
São teus cabelos hoje, maltratados...

Vejo em ti, a visão amargurada...
Foste farta de amantes e pecados...
Foste à dama de becos assombrados...
Foste tu, a mulher abandonada...

Em teu leito de morte, uma saudade,
o grande amor de um tempo muito antigo,
um laço tão fraterno e tão feliz...

Eis que naquela hora uma verdade,
um menino largado, sem abrigo,
abandonado pela meretriz!

Autor: Tulio Rodrigues

Um comentário:

  1. Bom dia!



    Andamos um pouco afastados! Agora, retornamos. Tentaremos ser mais freqüentes em nosso blog e nas nossas visitas, pois aqui colhemos poesia para enfrentar o dia a dia.



    Um abraço carinhoso



    Théo Drummond e Clau Assi

    ResponderExcluir

Leia as regras:
Todos os comentários são lidos e moderados previamente.
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:


- Seu comentário precisa ter relação com o assunto do post;

- Se quiser deixar sua URL, comente usando a opção OpenID;

OBS: Comentários não refletem as opiniões do autor do Blog.