24 de dezembro de 2009

Poesia: Nossa própria poesia

Poeta Tulio Rodrigues


Somos mãos, milhares de mãos
seguras pela nossa própria poesia.
Descrevemos a vida através das palavras,
saudamos o destino em nossos versos.

Somos mãos, milhares de mãos
que desdenha de incautos vazios.
Retratamos o amor e a tristeza
num mesmo cenário, numa mesma tela.

12 de dezembro de 2009

Poesia: Sua mensagem

Poeta Tulio Rodrigues
São as águas que emolduram
a minha triste morada.
Não há cor, não há sol, não há nada
que preencha a minha solidão.

Aguardo a chegada de qualquer palavra, 
qualquer voz, qualquer movimento
que mude o panorama estático e preencha a minha solidão.

28 de novembro de 2009

Poesia: Mudo


Poeta Tulio Rodrigues



Escrevo sob a luz de vela
a minha mais triste poesia.
Murchou a minha flor amarela
Que não brota a luz do dia.

Às lágrima está a minha alma,
penso, penso e repenso,
mas não consigo a calma,
e já não sei mais o que penso.

27 de novembro de 2009

Soneto: Janelas de minha alma


No lugar mais profundo do meu ser
Está contido todos sentimentos,
Lembranças dessa vida, meus momentos
E toda essa vontade de viver.

Lançamento do meu primeiro livro solo

Em breve estarei lançando o meu primeiro livro solo de poesias sob o título de "Ensaio Poético". Então, resolvi usar este espaço para divulgar este trabalho e minhas poesias.